quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Catecismo Ilustrado - Parte 20 - Duodécimo artigo (continuação): Creio na vida eterna O Inferno



Catecismo Ilustrado - Parte 20

O Símbolo dos Apóstolos

Duodécimo artigo (continuação): Creio na vida eterna

O Inferno

1. O Inferno é um lugar de tormentos, no qual estão os condenados, para sempre separados de Deus, e sofrendo suplícios eternos com os demônios.

2. Os que vão para o Inferno são todos os que morrem em pecado mortal.

3. O tormento dos condenados no Inferno consiste em duas penas, a pena do dano e a dos sentidos.

4. A pena do dano consiste numa grande aflição de terem perdido por sua culpa a bem-aventurança, e de serem privados para sempre da vista de Deus.

5. a pena dos sentidos consiste principalmente no fogo eterno, que Jesus Cristo mencionou nos seu Evangelho, e noutras penas.

6. As penas do Inferno hão-de durar sempre. Jesus Cristo, com efeito, declara no Evangelho que no Juízo Final os maus serão condenados ao fogo eterno, e numa outra passagem repete três vezes que o bicho que roi os condenados nunca há-se morrer, e que o fogo que os devora nunca se há-de apagar.

7. Assim como no Céu os escolhidos serão premiados infinitamente, e  por assim dizer, divinamente; do mesmo modo no Inferno os condenados serão infinitamente e divinamente castigados.

8. Todos os condenados ficarão para sempre privados da vista e presença de Deus; mas a gravidade das outras penas será proporcional ao número e qualidade dos pecados que cometeram.

9. A lembrança do Inferno é muito própria para reprimir as paixões e afastar os homens do pecado. Com efeito, seria preciso ser arrastado ao mal com uma violência extrema, para não sermos reconduzidos à prática da virtude por este salutar pensamento, de que um dia teremos de comparecer perante o supremo Juiz que é a própria justiça, e dar-lhe conta não só de toda as nossas ações e palavras, mas também dos mais secretos pensamentos, e sofrer o castigo merecido.

Explicação da gravura

10. A gravura dá-nos uma pequena ideia do Inferno. Na parte superior vêem-se sete entradas marcadas com as iniciais dos sete pecados capitais. A letra O designa o orgulho ou soberba, A avareza, L luxúria, I Inveja, G gula, C cólera ou ira, P preguiça. Isto indica que os pecados capitais são os que principalmente levam o homem ao Inferno. Sobre cada letra está um animal simbólico. O pavão representa o orgulho, o sapo a avareza, o bode a luxúria, a serpente a inveja, o porco a gula, o leão a ira, a tartaruga a preguiça.

11. O fogo é a pena comum a todos os condenados, sofrendo cada um conforme os seus pecados.

12. Na letra O vêem-se os orgulhosos arrastados aos pés de Lúcifer e obrigados a ajoelhar-se diante dele, porque na vida não quiseram adorar a Deus.

13. Na letra A vêem-se os avarentos com uma bolsa no pescoço, significando que eles preferiram os bens terrenos aos do paraíso.

14. Na letra L vêem-se os impuros feridos cruelmente pelos demônios.

15. Na letra I os invejosos são enlaçados por terríveis répteis.

16. Na letra G vemos os que pecam por gula, que são devorados por uma fome e sede cruéis.

17. Na letra C os coléricos e vingativos arrancam desesperados os cabelos.

18. Na letra P os preguiçosos são picados com pontas de fogo e encerrados nas chamas eternas.

19. Os transgressores dos dez mandamentos e os profanadores dos sete sacramentos são esmagados por um animal de sete cabeças e dez pontas.

20. Na parte inferior esquerda, vêem-se centauros esmagando os hereges, e os que combateram a religião com maus livros e maus jornais.


Ao centro, vê-se um relógio que marca sempre a mesma hora, que é a eternidade. Quer-se significar com isto que as penas dos condenados durarão para sempre e que uma vez entrados no Inferno, jamais dele hão-de sair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário